segunda-feira, 29 de outubro de 2007

cansaço + curtição


Hot Chip


Björk

Não sei nem por onde começar a comentar o Tim Festival...


Na arena skol, no anhembi, cerca de 20 mil pessoas se amontoaram, e mais do que tudo, cansaram! Eita coisinha demorada!

Cheguei lá por volta das 8 da noite, imaginando (ingenuamente) que às nove, conforme programado, Björk subiria ao palco.

Ao invés disso, nesse horário os ingleses do Hot Chip, com aquelas caras de nerds, conseguiram animar um pouco com a mistura eletrônico/rock. Adorei o hit "over and over" (pelo jeito, todo mundo conhecia, menos eu - rs) e em geral o som é bem bacana e os cinco moleques bem animados. Seria um ótimo set list pra uma super balada de sábado a noite, por exemplo.

A partir daí começou a tortura... A montagem do palco da Björk durou mais de uma hora, entre bandeirolas, televisão, canhão de confete, afff, de tudo um pouco! Até a queridíssima pisar no palco, haja paciência, mas quando pisou foi lindo para os olhos. Repito: para os olhos!

Particulamente, não gosto do som da Björk... Tudo bem, podem me chamar de ignorante mas aquilo me parece uma bad trip contínua, a agonia em forma de som. Enfim, ela estava linda, de vestido mega bufante e colorido, acompanhada por uma mini orquestra de sopros feminina, todas com um figurino maravilhoso.

Abrindo com "earth intruders", o single do novo cd Volta, até achei que ela ia me convencer a assistir tudo, mas sinto muito, fui me deitar depois da terceira música. A parte visual é tudo que eu consegui observar nesse show que dizem ter sido "fantástico", "ovacionado"... bom, eu passo.

Acho que nem vou comentar os atrasos seguintes... redundância, né?

Portanto, direto ao assunto, o que eu diria ter sido o momento delícia da noite...rs...

Juliette Lewis e a banda the Licks são ótimos no que eles se propõe a fazer: rock básico, meio dançante, de curtição. O legal do Licks é perceber que estão ali muito mais por curtir a sensação do palco, querer ter o calor do público (ela perguntava: do you reeeeally love the licks? rs), do que qualquer outra coisa. Ela é linda, sexy e charmosa. Se joga no chão, deita, pula, lambe o peito do guitarrista, enfim, super performática. Eles também são uma graça, sem cerimônias, tiram a camisa e curtem a vibe da festa (diferente dos arctic monkeys que reclamaram do calor, mas isso eu falo depois...)

Os hits "hot kiss", "death of a whore", "sticky honey" foram os mais bem recebidos pelo público. Juliette se acabou, mandou beijo pra todo mundo, mandou o povo beijar quem estava ao lado, enfim, só festa, curtição, um rock bem basicão e divertido.

Acho que nem vou comentar os atrasos seguintes... redundância, né? rs

Depois falo dos mais esperados da noite, Arctic Monkeys e The Killers...

ah, o show do Licks acabou a uma da manhã, mais ou menos....

esse era o horário previsto pra entrada do Killers... já viu, né?



Linda!

1 comentários:

Tiago disse...

Acho que vale lembrar que a Julliete tem um carisma impressionante. ela é um colirio para os olhos, tanto para os homens cm para as mulheres. deve ser essa aura hollywoodana de Mallory Knox que a torna tao brilhante.
mt bom esse post, p variar neh? keke
bjus.