quinta-feira, 21 de agosto de 2008

7 vezes O Rappa


Cinco anos depois do último álbum gravado em estúdio, a banda O Rappa lança Sete Vezes (Warner Music), uma reunião de 14 faixas que mantém o já conhecido e consagrado espírito do grupo, ao mesmo tempo em que demonstram uma grande vontade de inovar. O que não falta no novo álbum é a presença de novos sons, descobertos por acaso, no batucar de uma bacia de alumínio ou no chacoalhar de uma corrente.

Embalados pelo espírito do Acústico MTV, lançado em 2005, onde puderam trabalhar com os mais diversos instrumentos, os integrantes d’O Rappa optaram por manter algumas dessas descobertas novo disco de inéditas. “Sempre procuramos alguma coisa nova, um instrumento ou um approach novo. Queremos nos reiventar”, conta o guitarrista Alexandre Menezes, o Xandão, à CartaCapital. (*)

A vontade de improvisar não é tão recente quando parece. A diferença é que se antes ela era necessária, hoje é opção. “Quando começamos, os instrumentos nacionais era muito caros, precisávamos improvisar de alguma maneira. Não é a toa que hoje usamos um monte de instrumentos inventados, reciclados. Neste ponto, somos muito criativos, mas na industria de música pop se inova muito pouco”, diz Marcelo Lobato, baterista que assumiu o posto de Marcelo Yuka, em 2001.

Quanto à demora em produzir um novo álbum, o grupo é enfático. “Estávamos nos dedicando a completar um estágio para iniciar outro. Mas quando entramos com pé direito no estúdio, criamos umas 100 músicas. Foi difícil garimpar, é preciso exercitar o desapego.”, diz o vocalista Falcão.

O que é possível ouvir em Sete Vezes é O Rappa de sempre, com melodias carregadas de groove, que misturam-se facilmente ao dub e ao hip-hop, como no single Monstro Invisível. Ao mesmo tempo, fincando raízes em novas praças ao transformar, por exemplo, um clássico gravado por Luiz Gonzaga, Súplica Cearence, em um legítimo reggae jamaicano.


(*) Depois vou postar aqui a entrevista completa que fiz com os meninos do Rappa. Falamos de tecnologia, ongs, lei seca e iPods! Em breve...

3 comentários:

Mazao disse...

Demais hein ca !
Estou ansioso pra conferir!
Beijo

Camila disse...

Ca...Muito boa!
Posta logo a entrevista completa, quero ler. Bjao e saudadesssss

Anônimo disse...

a versão de suplica cearense ta muito boa, mas looooonge de um ''legitimo reggae jamaicano''