segunda-feira, 18 de agosto de 2008

bridget jones indie

A personagem Mônica, criada pelas mãos do quadrinista Fábio Lyra, ganhou certa fama entre os apreciadores de HQ a partir das páginas da extinta revista Mosh. Agora, tem a chance de se tornar conhecida do grande público. O livro Menina Infinito (Ed. Desiderata, 120 págs, R$ 39) reúne três pequenas histórias de Mônica e seus amigos, um retrato bem feito da geração 00.

A menina infinito não tem super poderes. Ao contrário, é só uma garota de 20 e poucos anos, que gosta de filmes, música e internet. Seus ídolos são Amelie Poulain, personagem do filme de mesmo nome, e Morrissey, cantor britânico, líder da banda The Smiths, a quem pede conselhos, em sonho, frequentemente. Ela poderia ser sua vizinha e quer dividir com você algumas angústias amorosas.

3 comentários:

Leandro Assis disse...

Camila,

No post você chama a menina de invisível mas o certo é infinito. E queria aproveitar para agradecer seu post sobre O Cabeleira. Valeu mesmo! Legal ver jornalistas dando atenção aos quadrinhos nacionais!

Abs,
Leandro

Camila Alam disse...

Oi Leandro!
É verdade, me confundi, mas já arrumei.
E parabéns pelo Cabeleira! Não sei se vc viu, mas saiu uma nota na CartaCapital também, mais ou menos na mesma época do post.
A Desiderata está mandando bem nos lançamentos...
Bjos!

Leandro Assis disse...

Oi, Camila.

Vi O Cabeleira na Carta Capital, sim! Inclusive guardei o meu exemplar! Valeu!

Bjs,
Leandro